domingo, 29 de novembro de 2015

ADVOGADO FIEL!

Reflexão do Dia: Advogado fiel

"Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo" (1Jo 2:1)

A sentença já havia sido declarada e condenava Vasconcelos à prisão e a urna grande multa. No entanto, ele tinha um "plano B" para não ser detido. Como era rico, poderia pagar os melhores advogados. Esses profissionais aproveitariam cada brecha legal para adiar o novo julgamento, interpondo recursos e atrasando o processo sempre que possível.

Quando finalmente saísse a sentença, eles usariam manobras para tentar outra decisão. Isso daria mais dois ou três anos para o réu continuar solto. Quando finalmente o caso fosse encerrado, ele inventaria uma doença para tentar cumprir a pena em sua suntuosa mansão.

A lei humana possui muitas saídas para aqueles que tentam se esquivar da justiça. Há manobras que causam lentidão no processo, invalidam provas, anulam sentenças, exigem novos julgamentos ou dão benefícios para o cumprimento das penas.

Todavia, a justiça de Deus é bem diferente. O salmista diz: "Aonde posso ir a fim de escapar do Teu Espírito? Para onde posso fugir da Tua presença?" (Sl 139:7). No dia do Juízo de Deus será impossível inventar manobras para fugir da sentença. Grandes e pequenos, reis e servos, ricos e pobres, todos enfrentarão o tribunal celestial. Não haverá como inventar desculpas ou mentir para Deus. Ele julgará a todos.

Diante do julgamento, os filhos de Deus não precisam temer, porque podem dizer como Jó: "Eu sei que no Céu tenho quem me defenda; o meu advogado lá está" (Jó 16:19). Jesus é o melhor de todos os advogados. Ele não precisa usar qualquer mecanismo que os defensores deste mundo utilizam. Cristo se apresenta diante do Pai como nosso Mediador e nos livra da sentença de morte, pois Ele mesmo já pagou a nossa pena quando Se entregou na cruz.

Aproveite este momento para constituir Cristo como seu advogado. Ele é o único defensor que pode livrar você da condenação, pois Ele pagou a pena em seu lugar.

Colaboração: Professor Joaquim/JP

Sérgio Vieira