terça-feira, 17 de novembro de 2015

REFLEXÃO DO DIA: BAJULAÇÃO

Bajulação
"Quem bajula os seus amigos está armando uma armadilha para si mesmo". (Pv 29:5)
Gilmar ouviu enquanto dois amigos da sala falavam sobre o novo vídeo game que Flavinho havia ganhado. "É de última geração", disse um dos meninos. "Você viu os gráficos? São incríveis!"
A curiosidade de Gilmar ficou aguçada. Eleja havia ouvido falar do tal vídeogame, mas não tivera a chance de experimentá-lo. Ele tinha um aparelho mais antigo e os jogos estavam ultrapassados. Seria muito bom se Flavinho o convi­dasse para jogar um pouco, como fez com outros colegas da sala.
Como não tinha muita amizade com o garoto, Gilmar começou a aproximar-se dele. Primeiro, elogiou sua mochila, perguntando onde havia comprado algo tão "irado" Depois, ele começou a conversar sobre o universo dos equipamentos eletrô­nicos. Sempre que Flavinho mencionava possuir algo do gênero, Gilmar dizia que era o "melhor do mercado" Na hora do lanche, o bajulador deixava o novo amigo furar a fila à sua frente, mesmo sob os protestos dos colegas. Às vezes, Gilmar fazia questão de pagar o lanche do outro garoto. A pior das cenas foi quando ele esperou Flávio no portão da escola e não o deixou carregar a própria mochila, dizendo que estava muito pesada.
Tamanha bajulação deu o resultado pretendido: o colega o convidou para ir à sua casa. Todavia, a tarde não foi como Gilmar esperava. Flávio aproveitou que o amigo era muito prestativo e o chamou apenas para ajudá-lo a arrumar a tralha que estava depositada na garagem. Gilmar passou a tarde inteira carregando caixas empoeiradas.
O resultado da bajulação nunca é positivo. Geralmente, quem bajula quer se aproveitar da popularidade ou dos bens daquele que ele elogia falsamente. O adulador jamais dirá a verdade, pois tem medo que a pessoa se afaste dele e fique sem lhe oferecer aquilo que ele pretende alcançar.
Você já elogiou alguém para tentar conseguir algo? Aproximou-se de uma pessoa por mero interesse? Essa é uma atitude errada, pois devemos fazer amiza­des baseadas em confiança, verdade e afinidade com as pessoas. Seja verdadeiro e sincero com seus amigos e nunca aja como um bajulador.
Colaboração: Professor Joaquim/JP
Sérgio Vieira