sábado, 21 de novembro de 2015

REFLEXÃO DO DIA: FINGIMENTO

"Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas". (1Pd 2:1)
Raimundo era um péssimo profissional. Ele prestava serviços jurídicos a várias pessoas e obtinha êxito em poucas causas, pois cometia diversos erros durante seu trabalho. Além disso, era comum ele mentir aos clientes, alegando que os atrasos ou erros no processo eram culpa dos juízes ou dos funcionários dos cartórios. Ele se aproveitava do fato de seus clientes não entenderem o funcionamento de um fórum e inventava taxas para receber mais dinheiro:
- O funcionário pediu um valor maior para que o processo ande mais rápido - ele dizia. E o cliente acreditava.
Quando perdia uma ação, Raimundo fugia do contratante sem dar expli­cações. Quando ganhava, recebia o recurso e repassava menos da metade para a pessoa que o contratara. Ele usava seu conhecimento jurídico para fraudar contratos e obter lucros desonestos. Com mentira e fingimento, ele roubava as pessoas menos esclarecidas e traía a todos os que confiavam nele.
Aos poucos, a fama de Raimundo se espalhou e ninguém mais o procurava. Houve situações em que ele foi processado para devolver o dinheiro que havia recebido ilegalmente de clientes. O advogado foi acusado de crime de estelionato e quase foi preso!
Em Pv 11:6 há uma grande lição: "A honestidade livra o homem correto, mas o desonesto é apanhado na armadilha da sua própria ganância."
Você já fingiu que estava doente para não ir à escola? Já contou uma mentira para tentar se livrar de alguma situação? Essas e outras ações, por menores que pareçam ser, são atos de desonestidade. O futuro da pessoa dissimulada, fingida e mentirosa é sempre desastroso. O engano tem vida própria e toma proporções superiores àquelas imaginadas por quem resolve usá-lo como ferramenta.

Não tente enganar outras pessoas. Você certamente tem um futuro brilhante; portanto, não o estrague com mentiras e fingimentos.
Colaboração: Professor Joaquim/JP
Sérgio Vieira