sexta-feira, 20 de novembro de 2015

REFLEXÃO DO DIA: O JUSTO JUIZ

"O Senhor é a nossa rocha; Ele é perfeito e justo em tudo o que faz. Ele é fiel e correto e julga com justiça e honestidade". (Dt 32:4)

O plenário estava em silêncio para a leitura da sentença. Vanderlei abaixou a cabeça e apoiou os braços algemados nos joelhos. Havia cometido um homicídio e fora preso em flagrante. Em um momento de ira, matara um homem numa discussão de bar. Ele teve direito à defesa em todas as fases do processo e pôde falar aos jurados sobre os detalhes do que acontecera naquele dia. Não inventou nada, pois estava ciente da gravidade de seu ato. Nenhuma pena que lhe fosse aplicada poderia trazer a vítima de volta.

Vanderlei confessou o crime e os jurados votaram por sua condenação. O juiz começou a ler a sentença, mencionando detalhes que o réu não entendia. Ele mencionou fatos que agravavam ou diminuíam sua pena até, finalmente, fixar o tempo que deveria cumprir de prisão. Foi uma pena justa, e os familiares da vítima ficaram satisfeitos com o resultado. Vanderlei também sentiu que, enfim, poderia pagar sua dívida perante a justiça dos homens. Cumpriria o período de cadeia e sairia como um homem que havia quitado seu débito junto ao tribunal da Terra.

Contudo, aquele homem tinha outro propósito: saber mais a respeito das questões espirituais. Na cadeia, ele conheceu outro Juiz. Um grupo cristão mantinha um ministério de atendimento aos presos e Vanderlei encontrou Jesus. Arrependido de seus erros, entregou-se a Deus, pediu perdão e passou a confiar no julgamento dAquele que decide de forma justa, honesta e amorosa.
Neste mundo, nós estamos sujeitos a inúmeras injustiças. Até mesmo os juízes de nossos tribunais cometem erros e isso pode prejudicar o réu. A mídia tem denunciado, inclusive, a desonestidade de alguns julgadores que vendem o resultado de seus júris.

Deus não age dessa maneira. Ele é o Juiz perfeito. Um dia, todos nós seremos julgados por Ele e não precisaremos temer, pois Sua decisão será absolutamente justa. Não tema o julgamento divino, pois você já aceitou Jesus como seu Salvador. Confie na bondade e misericórdia do Senhor e peça a Ele forças para viver de maneira correta.

Colaboração: Professor Joaquim/JP
Sérgio Vieira