quarta-feira, 23 de novembro de 2016

TOQUE - ME, SOU SEU!

*Toque-me, sou seu*

Pois eu lhes digo que assim também vai haver mais alegria no céu por um pecador que se arrepende dos seus pecados do que por noventa e nove pessoas boas que não precisam se arrepender._ (Lucas 15:7)

No ano passado, os Jogos Pan-Americanos aconteceram na cidade cana­dense de Toronto. Mas três anos antes do evento ocorreu uma ação muito interessante na cidade, ligada aos Jogos: 41 pianos foram espalhados em pon­tos públicos da cidade. A ação recebeu o nome que pode ser traduzido assim: "Toque-me, sou seu."

Nos Jogos Pan-Americanos, competem atletas de todas as partes da América: do Norte, Central e do Sul. O objetivo, além de promover os espor­tes na região, é celebrar a diversidade cultural do continente. E aí que en­tram os pianos. Não eram instrumentos comuns. Cada um deles representava um dos 41 países e protetorados da Organização Desportiva Pan-Americana. E foram convidados artistas que moram no Canadá, mas nasceram nesses 41 países, para decorar o piano representante de sua terra natal.

Os pianos foram então colocados em parques, praças e ruas. Todos eram convidados a tocar. Não importava se a pessoa era concertista, mestre de música, ou se só sabia tocar "Dó, Ré, Mi, Fá". O importante não era a performance, mas a celebração da cultura e da união entre os povos.

Agora imagine se os brasileiros resolvessem tomar posse do piano repre­sentando nossa nação e só permitissem que outros brasileiros tocassem. Você acha que o objetivo da exposição seria cumprido? Ê claro que não. Aliás, isso nem seria permitido, sendo que os pianos não eram propriedade de ninguém; em vez disso, estavam disponíveis a todos.

No entanto, é isso que muitas vezes fazemos na igreja. Ela é um espaço aberto, no qual todos são convidados a entrar e participar. Não importa se são pessoas parecidas conosco ou não, se têm grande experiência espiritual ou se recentemente ouviram falar de Jesus. Todas são igualmente bem-vindas. Porém, quantas vezes não nos comportamos assim, e com nossas ações, palavras e expressões mostramos que aceitamos melhor uns do que outros.

Não caia nessa armadilha. Seja simpático e acolhedor com todos, assim como Jesus. Ajude a transformar seu mundo em um "piano amigo", no qual todos possam sentar, tocar e crescer em intimidade com Deus.