sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A EXTRAORDINÁRIA PROTEÇÃO DIVINA

A extraordinária proteção divina*

"Durante o dia o SENHOR ia adiante deles, numa coluna de nuvem, para guiá-los no caminho, e de noite, numa coluna de fogo, para iluminá-los, e assim podiam caminhar de dia e de noite. A coluna de nuvem não se afastava do povo de dia, nem a coluna de fogo, de noite."(Êxodo 13:21, 22, NVI)

Já parou para pensar em quantas vezes sua vida correu perigo e você foi protegido sem se dar conta? É um acidente que acontece segundos de­pois de você passar por aquele cruzamento de carro com sua família. É um motorista bêbado que atinge o poste onde você estava encostado minutos an­tes, conversando com os amigos depois da aula. É o motociclista que passa acima da velocidade furando o sinal vermelho após você atravessar em segurança a faixa de pedestre. Penso que só no Céu teremos consciência do tra­balho que tiveram nossos anjos da guarda, livrando-nos e protegendo quando nem fazíamos ideia de que corríamos algum risco.

Entretanto, houve uma época em que a proteção divina era palpável e visível. No sol escaldante do deserto, os israelitas contavam com uma refrescante coluna de nuvem. Era o Senhor quem estava ali, guiando o caminho e, ao mesmo tempo, funcionando como um ar-condicionado portátil, ajudando-os a prosseguir sem se queimar nem ter desidratação. De noite, nada de sofrer com o choque térmico nem de tropeçar por causa da escuridão: o Senhor se fazia presente na forma de coluna de fogo. Assim os israelitas podiam prosseguir tan­to de dia quanto de noite. Conseguiam ver que Deus estava bem ali, com eles.

Não sei se você já sentiu vontade de que Deus se manifestasse de maneira mais clara para você. Não seria bom se ele fosse uma coluna de nuvem ou de fogo e andasse bem ao nosso lado? Nada mal, não é mesmo? Pensamos que, se assim fosse, tudo seria mais fácil e não teríamos nenhum tipo de temor ou dúvida. A história dos israelitas mostra justamente o contrário. Mesmo com evidências palpáveis e diárias da presença divina, eles se rebelaram, reclama­ram, murmuraram e adoraram ídolos.

E fácil criticá-los. Difícil é reconhecer que a história dos israelitas é a nossa história. Deus não anda hoje como coluna de nuvem ou de fogo, mas continua protegendo-nos de maneira extraordinária. Nós é que precisamos abrir bem os olhos e pedir ajuda divina para enxergarmos as evidências de seu cuidado.