sábado, 14 de novembro de 2015

REFLEXÃO DO DIA: "SILÊNCIO"

Silêncio
"Eu Te louvo, ó Deus. Não fiques assim silencioso". (Salmo 109:1)
Em 1992, eu fui para um internato adventista no estado do Paraná, Éramos quatro amigos em nosso apartamento e nos comportávamos muito bem. Não tínhamos qualquer problema com os dirigentes do colégio ou do dormi­tório masculino. Nosso preceptor, o pastor Rui Lopes, gostava de nós e sempre conversava conosco sobre nossas dúvidas bíblicas. Eu era muito interessado, pois nunca tivera acesso a alguém que possuísse tamanho conhecimento teológico. Dialogávamos nos horários de estudo, quando o pastor respondia aos nossos questionamentos sempre com um versículo da Palavra de Deus.
Apesar do nosso bom comportamento e interesse pela Bíblia, certa vez ocorreu um evento que nos marcou. Numa noite, o prédio masculino ficou às escuras devido a uma queda de energia. Quando isso aconteceu, alguns alunos aproveitaram para badernar. Eles correram em direção às janelas dos quartos e começaram a imitar animais diversos, chamando essa "brincadeira" de Arca de Noé. Era possível ouvir sons de cachorros, leões, elefantes, cavalos, entre muitos outros animais.
Seguindo o exemplo dos colegas, eu e meus amigos fomos à janela e nos jun­tamos ao coro da Arca de Noé, relinchando, urrando e berrando. De repente, nossa porta se abriu e, com uma lanterna na mão, o pastor Rui nos iluminou.
- Eu não esperava isso de vocês - disse. - Jamais imaginaria que vocês se juntassem a esse tipo de bagunça. - Ele fechou a porta e saiu em silêncio,
Fiquei muito chateado por ter entristecido o homem que estava quase todos os dias conosco, conversando sobre Jesus e Sua Palavra. Entretanto, o que mais me marcou, foi o fato de ele não nos repreender duramente. Sua decepção foi tão grande que ele saiu em silêncio.
Sempre corremos o risco de nos desviar dos planos de Deus e, com isso, decepcioná-Lo. Ele não atira raios em nossa cabeça, bem como não enche nos­sas vida de maldições. Às vezes, o Senhor fica apenas em silêncio, movendo-Se suavemente em nossa mente por meio do Santo Espírito. Ele espera que to­memos consciência de nossos atos pecaminosos. Se você cometeu algum erro e está sentindo o silêncio de Deus, confesse seus pecados a Ele e volte a ter um relacionamento real com o Salvador.
Colaboração: Professor Joaquim/JP