quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

QUANDO VOCE SE TORNA REAL!

PARA REFLETIR

O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 1Coríntios 13:7
Desde pequeno, eu sempre gostei de ler, mas nem sempre lia livros de crianças. Um clássico infantil que tem encantado gerações e que descobri apenas depois de adulto foi O Coelho de Pelúcia, de Margery Williams. Nesse amado pequeno livro, a autora mostra “como os brinquedos se tornam reais”. O diálogo entre o Coelho e o Cavalo de Pele é o trecho mais conhecido:

– O que é REAL? – perguntou um dia o Coelho. – Significa ter coisas que zumbem dentro de você e uma manivela saliente?
– Real não é como você é fabricado – explicou o Cavalo. – É algo que acontece com você. Quando uma criança o ama por muito tempo, não apenas para brincar, mas realmente o ama, então você se torna real.

– Isso dói? – perguntou o Coelho.
– Às vezes – respondeu o Cavalo, pois sempre dizia a verdade. – Mas, quando você é real, não se importa com a dor.
– E acontece de uma só vez, como dar corda, ou aos poucos?
– Não acontece de uma vez só – disse o Cavalo. – Você se torna. Leva muito tempo. Por isso, nem sempre acontece com gente que se quebra com facilidade, ou tem pontas afiadas, ou precisa de muitos cuidados. Geralmente, quando alguém se torna real, seus cabelos já foram quase todos arrancados, os olhos caíram, as articulações estão soltas e você está todo esfarrapado. Porém, essas coisas não importam em absoluto, pois, quando você é real, não pode ser feio, exceto para aqueles que não compreendem.
– Acho que você é real – arriscou o Coelho, para logo se arrepender do que dissera, pois talvez o Cavalo fosse muito sensível. Mas o Cavalo apenas sorriu.

Ser real é amar e ser amado do jeito que você é, com seus problemas, características únicas, cicatrizes, defeitos e rugas. Ser real significa ir além da aparência e da superficialidade. É, se necessário, transcender a estética e criar espaço para a imperfeição. Cabelo desgrenhado, pijama listrado, pés descalços, ausência de maquiagem, nada disso importa. No mundo das pessoas que amam, as relações são sempre reais. Você sabe quem é e tem liberdade para ser o que é.

Ser real é gostar de verdade. É amar com sinceridade, intensidade e perseverança. O amor torna as pessoas reais e motiva ações reais. Vai além da retórica. Por isso, apesar de seus erros e imperfeições, Deus o ama. Não importa se você está quebrado, desconjuntado e esfarrapado, continua no coração do Pai. Para Deus, você é real.

COLABORACAO: PROFESSOR JOAQUIM - JP